Páginas

sábado, 1 de fevereiro de 2014

País ganhou 1,8 milhão de novas empresas em 2013

Se o Nordestino é, antes de tudo, um forte, o brasileiro se mostra, cada vez mais, um empreendedor. Só no ano passado o país ganhou 1.840.187 de novas empresas. O número consta no Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas, divulgado nesta sexta-feira (31), e aponta um crescimento de 8,8% na comparação com 2012. No quadro abaixo você pode observar o desempenho dos últimos quatro anos:











O legal para nós nordestinos é que a Região foi a que mais puxou esse crescimento. O aumento foi de 9,8%. O Sudeste veio em seguida, com alta de 9,2%. Depois aparecem Centro-Oeste (8,5%), Sul (7,8%) e Norte (5,2%). Ainda asssim, em quantidade, foi no Sudeste onde foram abertas mais empresas no ano passado: 931.736 ou 50,6% do total. Mas o Nordeste ficou em segundo, com 338.637 e 18,4% do total.
A pesquisa também confirma que, apesar do tamanho, os pequenos reinam. Do total de 1.840.187 de novas empresas criadas, 1.254.117 (68,2%) foram de Microempreendedores Individuais (MEIs). “As MEIs vêm registrando aumento crescente desde o início da série histórica do Indicador – em apenas quatro anos, passaram de pouco menos da metade do total de novos empreendimentos (49,0%, em 2010) para mais de dois terços deste total”, destaca o texto do indicador.
O negócio pegou mesmo. O país já conta com mais de 3,5 milhões deles e deve bater os 4 milhões rapidinho, com mais gente saindo da informalidade. Quem se formaliza passa a contar a cobertura da Previdência Social e ter acesso a aposentadoria por idade, (mulher aos 60 anos e homem aos 65 anos, após 15 anos de contribuição), aposentadoria por invalidez, auxílio-doença, salário-maternidade, pensão por morte e auxílio reclusão.
O MEI também passa a contar com um CNPJ, facilitando a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimo para movimentar o negócio, a emissão de notas fiscais. No quadro abaixo está o ranking dos 20 ramos econômicos que concentraram o nascimento de novos Microempreendedores Individuais em 2013:

Quem estiver lendo o post e quiser se cadastrar deve acessar o Portal do Empreendedor, clicar no ícone Formalize-se e preencher os dados. Depois é imprimir o carnê de contribuição, que pode ser pago em qualquer agência bancária ou casa lotérica. Não custa nem R$ 50 por mês. Pode se tornar um MEI quem tem um negócio próprio e que fatura até R$ 60 mil por ano (até R$ 5 mil por mês).
Voltando para a pesquisa da Serasa Experian, o setor de serviços seguiu atraindo a maior quantidade de novas empresas. Segundo o levantamento, em 2013, 1.053.420 de companhias que abriram suas portas no segmento, o equivalente a 57,2% do total. Em seguida, surgiram 605.494 empresas comerciais (32,9% do total). No setor industrial, foram abertas 149.377 empresas (8,1% do total) no último ano.
Fonte Diário de Pernambuco